De mangas a sorrisos

Sorriso maroto cheio de alegria
Não importa onde se esteja,
Em meio a ódio ou tristeza,
Sempre alegria irradia.

Às vezes se faz de desentendida
Só pra se deixar conquistar
Danada é a sua alegria
Esperta pra se fazer amar.

Sozinha antigamente sentava,
parecia não ter amigos nem nada
Só um espectro calado
Um anjo angustiado.

Mas logo a coisa mudou
O jogo mudou de lado
Agora se vê na antiga angustia
um grande sorriso estampado.

4 Response to "De mangas a sorrisos"

  1. Leticia says:

    AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA O POEMA *-----------------------------------------*

    asASUAHsUAHSuASuAUShAUHsuAHUShAHSUAS
    Que bom que vc gosto *-*

    Caio nos sonetos tome cuidado com a métrica e com a rima fraca, busque as metáforas elas são os maiores brilhos de um poema lírico.

    Não exagere na repetição de palavras, por exemplo os versos íntimos de augusto dos anjos, percebe que quando ele repete a palavra "fera" - que está na rima de "quimera" (= monstro grego e sonho) e de "pantera". Percebe a sutileza do emprego destas palavras no poema?

    " O homem que nessa terra miserável mora entre feras sente inevitável necessidade de também ser fera"

    Quando nessa caso se repete a palavra fera é justamente para dar um tom de fatalismo mesmo, de não haver saída e nem sinônimos nem metáforas nem analogias... para o homem que se contamina com seus diferentes, mas que porém se sente inevitável necessidade de ser seu semelhante, nesse mundo decadente.

    Abraço

    Visita lá: leandrocustodiopoeta.blogspot.com

    Vamos trocar "poemas".

    wow !!! eh lindoooooo *-*
    Parabens!!!

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião, crítica ou comentário sobre os trabalhos deste blog: