Lembrança à quem não deve ser esquecido

Sempre me perguntei por que existir?
Para que tanta dor, tristeza e sofrer,
Quantas mais penitências terei eu que pagar
Enquanto viver neste penoso ser?

Não tinha mais forças, não suportava viver,
O que me mantinha em luta por meu ser
Deverás motivos há de haver, mas quero
Crer pra mim que o maior foi você

Não entendas por capricho, ou mera bajulação
Pois sabes que o que digo, é reflexo
de meu coração, que antes atrofiado e gélido,
Em total inanição, agora volta a bater
Com mais intensidade e emoção.

Nunca igual amizade provei, só tenho a
lhe agradecer, por fazer com que este jovem
não viesse a morrer. Pelo ato não entenda como fim
é apenas um momento, uma transição
ao adeus não cabe a nós, mas sim a imaginação.

Perdoa – me pela distância, que criei por medo de ti
Ainda me pesa em mente, tudo aquilo que sofri
Por causa desta barreira, esta profunda trincheira
Que entre nós construí

Com as lagrimas que derramei muitas coisas perdi,
Entre elas foi o medo  e também o desespero
que nutria por você , além do medo de sentir novamente
Tudo aquilo que vivi

Mesmo levando muito do medo
Algo dele ficou. Medo de nunca
mais te ver, angústia que me trará dor.

Entendo-me agora melhor do que já fora
Antes sofrida e amarga monera
Que se transformou em poço de calor
Tendo suas águas aquecidas pelo sentimento - Amor.

O inevitável aconteceu, e com ele virá a dor
Infelizmente esse é um dos efeitos de
Se viver por amor,
Em minhas lembranças a levarei, para todo
lugar que eu for, não importa a condição
Com honra será levada
Ao antro de meu coração.

Sobre a pergunta mal lograda,
Somente pra mim faz sentido viver,
enquanto não me esquecer agora e
para sempre me lembrar de você!

2 Response to "Lembrança à quem não deve ser esquecido"

  1. jennifer says:

    mtu lindo!

    Gian says:

    noooosssaaaa gordão!!!
    mto foda, qse chorei!

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião, crítica ou comentário sobre os trabalhos deste blog: